[ Vox populi vox Dei ]

2015-02-06

« O VEREDICTO DO POVO GREGO »

ALEXIS TSIPRAS escreveu HISTÓRIA


O filósofo grego ARISTÓTELES  (384 a.C - 322 a.C.)  legou-nos esta citação: "A esperança é o sonho do homem acordado".  É preciso que o mundo acorde. Penso eu, e, felizmente, muitos mais...

Deixem-me botar faladura sobre as eleições gregas, assunto que anda aí nas bocas do mundo, uns à espera que estoire a Grécia, outros que rebente a Europa.

Querem que estoire a Grécia os que, revendo-se na política europeia, não se querem confrontar com a inutilidade de uma austeridade de anos que nos foi imposta, sobretudo aos países do sul e muito particularmente à Grécia e a Portugal.

Tanto sacrifício,  para esta corrente de opinião, tem que fazer sentido, sob pena de abalar as convicções políticas e ideológicas de muita gente. Defendem o abalo da Europa os que nunca acreditaram nos benefícios de tamanha austeridade, os que nunca concordaram com esta orientação e ainda os que não suportam a habitual arrogância da Alemanha que, apesar de ser a padroeira da asneira, sai sempre a ganhar das porcarias em que se mete e provoca. [Agora... anda de braço dado com o P.R. franciú - o Hollande - a mexer no barril de pólvora da Ucrânia]

Seja-me permitida uma declaração de interesse, de imediato: não tenho grande consideração por um país que determina (e por um povo que o consente) a morte de milhares de judeus nas condições em que a Alemanha o fez na II Guerra Mundial.

Guerra é uma coisa, extermínio de uma raça é outra. Perdoe-se-me, pois, alguma pitada de falta de isenção que me esforçarei para minorar. Mas a memória tem este defeito: está  sempre a colocar-nos estas coisas à frente dos olhos.

Dito isto, deixem-me dizer que achei fantásticos os resultados das eleições gregas. Delas só podem resultar benefícios. Para a Grécia, se conseguir amansar a ferocidade europeia. Para a Europa, se conseguir reforçar a sua tese de que quem tem dinheiro é que manda e o resto é conversa. Não estou certo do resultado final deste choque de convicções e orientações políticas, embora não me pareça que a Grécia possa fazer grande coisa. Antes pudesse, e, ainda que pudesse, também não devia ir além do que deve. Pediu, gastou (e algum muito mal gasto - como cá), comeu, abotoou-se, então que pague.

Não venham com essa estória de que tanto dinheiro foi para alimentar o povo. É falso. Grande parte desse dinheiro, lá como cá - repito -, foi para os bolsos dos ricos, foi para manter a tropa fandanga governante, foi desviado do fim a que se destinava.

Assim sendo, a Grécia só ganha autoridade se à coragem demonstrada acrescentar a dignidade comportamental dos países de bem.

Pediu, gastou, pague. Nas melhores condições que conseguir, é certo, mas não à custa do sacrifício que pretende dos outros e não aos seus.

Mas a Europa tem pouca moral nesta matéria (e noutras) e a Alemanha não tem nenhuma, já que se fez rica e poderosa sobre os escombros dos países que destruiu. A Europa é liderada hoje por uma elite de burocratas que, de bolsos cheios, não têm a mínima sensibilidade para os problemas dos países pobres nem para quem precisa de pão para matar a fome dos filhos.

Esta Europa, parida sob bons auspícios e depois apropriada pela tal elite, não pode ter grande futuro. É má, insensível, sem alma. Só vê cifrões e sempre que um povo é martirizado (Kosovo, Ucrânia e outros mais) olha para o lado e faz que não vê. Esta Europa passeia-se nos tapetes aveludados da arrogância, distribui entre as suas elites benesses atrás de benesses, come-lhe do bom e do caro, arrota a meio da tarde e está-se nas tintas para quem tem fome. Gente desta não presta!

Reside aí, nesse aspecto, a parte lúdica, interessante e vingativa das eleições gregas. Dá um certo gozo ver um jovem político bater o pé aos grandes, sempre habituados a que os países pobres amouxem e comam pela sua mão.

O Primeiro Ministro grego pode ter 'tiques de irresponsabilidade' ou até ser muito pouco ponderado. Não sei nem quero saber! Mas mostrou tê-los no sítio, desculpem-me a grosseria da expressão...

E para tanta arrogância europeia não sei se essa não seria mesmo a melhor resposta!

Mais houvesse, e muitos galos baixariam a crista!


5 comentários:

Graça Pereira disse...

Quem não sabe copiar---critica!!

Estão verdes! Lembras-te da história da raposa? Pois é!
Abraço
Graça

Graça Pereira disse...

Quem não sabe copiar---critica!!

Estão verdes! Lembras-te da história da raposa? Pois é!
Abraço
Graça

Maria José Meireles disse...

Obrigada.

Uouo Uo disse...


thx

كشف تسربات المياة
غسيل خزانات
شركة نظافة عامة

Uouo Uo disse...



thank you

سعودي اوتو