[ Vox populi vox Dei ]

2012-03-25

« RESCALDO DE UMA SEMANA TRÁGICA »

A Tragédia da seca



Por mais que queiramos esquecer os dias enevoados  que temos vindo a viver, não temos forças suficientes para atirar para trás das costas essa carga de problemas.

Se a natureza, com muito da inconsciente mão humana, nos fustiga com uma seca atroz, é do homem, uma vez mais, que temos muitas queixas a fazer, também nesta semana que passou.

Dentro de nossas fronteiras, os deputados, eleitos pelo povo, entenderam que o seu papel mais útil ao País que os colocou em S. Bento é o de organizar corridas  para ver quem chega primeiro e sobe mais alto no pódio da obra mal feita.

Esta questão de constituir uma "Comissão" para analisar o buraco do BPN é o exemplo mais paradigmático daquilo que essa gente tem de evitar.







A forma como chegaram à sua escolha tem tudo para fazer desse ponto um caso estudo: lança-se um Partido com uma ideia no bolso, logo outro avança com dados mais palpáveis e os põe em cima da mesa.

Com uma escaldante batata quente na mão, a Presidente Assunção Esteves viu-se nas nuvens para descalçar a bota que lhe ofereceram.

Com este morto sempre a moer-nos o juízo e a dar-nos cabo da carteira, porque já nos levou cerca de seis mil milhões de euros e não para de nos continuar a ir ao bolso, para ser vendido (dado) por uma casca de alho, o BPN, que nasceu torto, nunca mais se endireitou. 

Agora, quase que chegou a atirar pela borda fora  a Presidente da Assembleia, que teve de se empertigar para mostrar que ali há quem seja capaz de travaros desmandos de dezenas e dezenas de deputados, que tanto desbaratam a pálida imagem que da maioria deles se tem.

Porque tenho a oportunidade de usar este meio, a blogosfera, muito embora no meu caso de reduzida audiência, aqui fica o meu protesto, este, sem tirar, nem pôr.

Depois, adivinho-o, aquela Comissão não vai dar nada e não vai produzir documento que se veja e tenha consequências.

Se este episódio é lamentável, também muito o foram as declarações de um responsável pela «PIMCO», uma agência internacional de angariação de capitais, ou algo semelhante, que, desejando colocar as nossas finanças no charco de onde não possam sair e tudo joga na especulação mais torpe, veio dizer  que, à viva força, não somos capazes de levar por diante os duros compromissos que temos com os nossos credores e nos haveremos de tornar, talvez, pior que a Grécia!






Mohamed El-Erian
Presidente da "PIMCO"
[Profeta da Desgraça]


Como está a ver que, daqui a mais de um ano, as previsões apontam para que possamos ir ao "mercado" do dinheiro, ei-lo a desfazer ainda mais aquilo que já mostra debilidades próprias de uma tão grave situação de aperto.

No polo oposto temos de colocar o Ministro das Finanças que, em operações de charme, não deixa de puxar para cima os seus galões, desde O Estados Unidos da América a outras nações e entidades.

Discordando das suas medidas e temendo mesmo os seus efeitos, espantamo-nos, no entanto, com a sua exótica serenidade.

Assim, se a sua tarefa já não é nada fácil, com estes empecilhos da citada «PIMCO» e outros, tudo se complica ainda mais.



 O monstro de Toulouse
Nem o seu nome escrevo




Enfim, não é apenas em Portugal que os homens andam com a cabeça fora do lugar. Nada das dificuldades que aqui temos se comparam com a barbárie que vemos grassar por esse mundo fora, como aconteceu agora  em Toulouse- França, com o massacre de crianças e adultos numa das suas escolas. Um horror!

Enquanto ali foi um arrepiante crime que esteve na base dessas mortes indefesas, a semana trouxe-nos ainda um desastre de proporções altamente dolorosas na Suíça, levando à morte de dezenas de pessoas, sobretudo crianças e jovens.

A par destas situações, neste nosso país, por mais que eu próprio tenha barafustado, não há comparação possível com aquilo que acabei de relatar.

Sem ser de forma alguma um paraíso,  porém,  para lá pode caminhar ...

Assim queiramos todos nós.

2 comentários:

Maria José Meireles disse...

Eu quero!...

trepadeira disse...

Haja vontade e força para lutar e vencer estas azuladas laranjas podres.

O bpn ainda agora pariu mais um,o que faz de ministro da saúde foi buscar um zé qualquer,qualquer não aquele que ao serviço do bpn afundou o British Hospital,para coordenar uma comissão da saúde.
Parece uma piada negra mas não é.

Um abraço,
mário