[ Vox populi vox Dei ]

2010-12-05

«PORTUGAL: O PAÍS QUE TEMOS, SOMOS... E QUEREMOS! »

ATENÇÃO!... ISTO HOJE, NADA TEM A VER
COM
FUTEBOL!

.
O galo - da estória antiga -, sempre disse que,
quando despia o casaco...
era limpinho!



.


.Apresentando desculpas pela insistência na temática PORTUGAL, em aditamento aos dois 'posts' anteriores e para reflexão - ou irritação - de quem não os apreciou, sugere-se a leitura do texto seguinte... em pinceladas paisagísticas executadas com letra de imprensa.
.
Este nosso país que dá pelo nome de Portugal, sem sombra de dúvidas, é um país geograficamente bonito, dito por muitos estrangeiros que nos têm visitado: as suas planícies, as suas serras, os seus vales, as suas estradas e vias rápidas, seus rios e riachos, suas praias, seu folclore, sua gastronomia e seus monumentos (...)
.
Com todas estas belezas é também conhecido como varanda da Europa. Mas, mesmo assim, com todos estes encantos e valências não consegue cativar a maioria dos seus jovens a fixar-se e a laborar na sua Pátria, sendo forçados a emigrar para outros países à procura de melhor rentabilidade do seu trabalho. E, por tal, melhores condições de vida.
.
Este nosso país, dada a evolução política que a Europa atingiu, não está convenientemente a aproveitar, em relação às suas potencialidades para prosperar em benefício dos presentes e dos que nos hão-de suceder.
.
A terra, na sua maioria está inculta e devoluta e devia ser emparcelada. As serras, algumas com bons acessos, suas belezas e visibilidade deviam ser turisticamente aproveitadas. Os riachos se lhes represarem as águas, davam lugar à rega dos campos, pesca local e fixação das pessoas porque onde existir água haverá vida.
.
O nosso mar, a nossa imensa costa atlântica é uma riqueza incomparável que em mãos de outros já estaria rentabilizada. Hotéis, pousadas, residenciais, desporto etc..
.
Portugal é um lindo país. Com uma História riquíssima descobriu novos países, dando-lhes o seu melhor. Mas ainda, no fundo, se não descobriu a si próprio!
.
Quem amar o seu país, este, o nosso, há que trabalhar e dedicar-se-lhe intensamente, porque a nova descoberta chama-se: Crise!







.VíDEO, COM O HINO
NACIONAL «ILUSTRADO»


7 comentários:

Luís Coelho disse...

Já não sei comentar esta situação lusa. Penso apenas que nos acobardámos todos e que deixámos que eles fizessem o que lhes apeteceu.

Não temos políticos íntegros e trabalhadores pela causa pública e o bem comum.

Da esquerda à direita e de cima a baixo são políticos rascas sem moral nem conhecimento das causas nacionais e deturpam as causas com os efeitos.

Servem-se a eles e aos amigos do bolo que ainda existe e deixam o País mais pobre e indefeso.

trepadeira disse...

Pois é,caro César,mas a nossa produção iria impedir a venda choruda da produção dos outros.
Qualquer dia vou contar a saga de uma cooperativa,para produzirmos azeite biológico,aqui no Mondego e,também,as dificuldades que nos levantam.
Um abraço,
mário

Luisa disse...

César,

Respondo-te com palavras sábias, de Eça de Queiróz.

A arbitragem - que até aqui, neste período de crise comercial, tem servido apenas para decidir reduções de salário, servirá um dia quando a prosperidade renascer, para decidir os aumentos de salário. O meio legal de que se têm utilizado os patrões - para fazer baixar os salários - será um dia o mesmo de que se servirão os operários para os fazer subir

-

Hoje que tanto se fala em crise, quem não vê que, por toda a Europa, uma crise financeira está minando as nacionalidades? É disso que há-de vir a dissolução. Quando os meios faltarem e um dia se perderem as fortunas nacionais, o regime estabelecido cairá para deixar o campo livre ao novo mundo económico

Queiroz , Eça


Bjs

Luísa

Anónimo disse...

Pelo jeito a nossa crise vem já do tempo das caravelas apesar de virem carregadas de ouro e prata que certamente não seriam para construir
bairros municipais. Incompetentes e inteligentes sempre os houve. É como na casa de cada um. Há quem as saiba governar muito bem e fazer « milagres» sem grandes massas e quem as desbaste em meia duzia de dias. Acredito que passaremos à frente até porque está tudo em constante movimento. Mesmo que alguém quisesse parar tudo não o conseguiria. Há cinquenta anos quando perguntava ao meu pai, barbeiro de profissão como tinha sido o dia, ele mostrava-me a gaveta
com meia dúzia de tostões e alguns deles ainda eram para distribuir pelos muitos pobres que ali passavam durante todo o dia. Estou vacinado embora tenha a noção de que esta é uma época menos boa do que outras que já vivemos. Palma

momo disse...

Portugal é um lindo país. Com uma História riquíssima descobriu novos países, dando-lhes o seu melhor. Mas ainda, no fundo, se não descobriu a si próprio!
gostaria de que a sí fuese...gostyaria como gosto del tu pais...hace poco estuve tan contenta que Portugal y España fuesen juntas por la candidatura para la sede del mundial..el ruedo iberico...gostan tanto de ir junticos...

São disse...

Pois, Portugal através dessa sumidade chamada Cavaco começou um processo de destruição que dura até hoje.
Mas penso que sairemos desta, como sempre temos feito.

Só lamento que o povo português, não aprenda!

Um abraço

relogio.de.corda disse...

Mas que bem... "gostei" de saber que a nova descoberta se chama crise e que afinal, andamos todos depenados que nem o desgraçado do galo que abre este post. Coitado... eu ando há muito TEMPO a dizer que compro um galo para me acordar de madrugada com o seu cantar(é bonito, é ecológico...) mas tenho que pensar duas vezes antes de consumar o negócio: não o quero assim depenado, nem a servir de banquete a nenhum dos meus gatos!