[ Vox populi vox Dei ]

2010-07-12

A ESPANHA de GARCIA LORCA e... GATOS em POESIA

.
Este jovem gato dourado [o Betz]
fez-me 'roubar', adaptando, um pedacinho
de um poema

de Frederico Garcia Lorca

.
"Betz, the Golden cat"

.
Betz el guapo casero
está tumbado al sol.
Es un gato elegante con gesto de léon,
bien esducado e bueno,
si bien algo 'burlón'.
Es muy músico; entiende
a Debussy, más no
le gusta Beethoven
Qui es un perro del Cine!
.


.Foto do Poeta e Dramaturgo espanhol
Frederico Garcia Lorca
(Fuente Vaqueros, 1898 - Granada, 1936)




FEDERICO GARCIA LORCA

CANCION NOVISSIMA DE LOS GATOS

"Mefistófeles casero
está tumbado al sol.
Es un gato elegante con gesto de león,
bien educado y bueno,
si bien algo burlón.
Es muy músico; entiende
a Debussy, más no
le gusta Beethoven.
Mi gato paseó
de noche en el teclado,
¡Oh, que satisfacción
de su alma! Debussy
fue un gato filarmónico en su vida anterior.
Este genial francés comprendió la belleza
del acorde gatuno sobre el teclado. Son
acordes modernos de agua turbia de sombra
(yo gato lo entiendo).
Irritan al burgués: ¡Admirable misión!
Francia admira a los gatos. Verlaine fue casi un gato
feo y semicatólico, huraño y juguetón,
que mayaba celeste a una luna invisible,
lamido (?) por las moscas y quemado de alcohol.
Francia quiere a los gatos como España al torero.
Como Rusia a la noche, como China al dragón.
El gato es inquietante, no es de este mundo. Tiene
el enorme prestigio de haber sido ya Dios.
¿Habéis notado cuando nos mira soñoliento?
Parece que nos dice: la vida es sucesión
de ritmos sexuales. Sexo tiene la luz,
sexo tiene la estrella, sexo tiene la flor.
Y mira derramando su alma verde en la sombra.
Nosotros vemos todos detrás al gran cabrón.
Su espíritu es andrógino de sexos ya marchitos,
languidez femenina y vibrar de varón,
un espíritu raro de inocencia y lujuria,
vejez y juventud casadas con amor.
Son Felipes segundos dogmáticos y altivos,
odian por fiel al perro, por servil al ratón,
admiten las caricias con gesto distinguido
y nos miran con aire sereno y superior.
Me parecen maestros de alta melancolía,
podrían curar tristezas de civilización.
La energía moderna, el tanque y el biplano
avivan en las almas el antiguo dolor.
La vida a cada paso refina las tristezas,
las almas cristalizan y la verdad voló,
un grano de amargura se entierra y da su espiga.
Saben esto los gatos mas bien que el sembrador.
Tienen algo de búhos y de toscas serpientes,
debieron tener alas cuando su creación.
Y hablaran de seguro con aquellos engendros
satánicos que Antonio desde su cueva vio.
Un gato enfurecido es casi Schopenhauer.
Cascarrabias horrible con cara de bribón,
pero siempre los gatos están bien educados
y se dedican graves a tumbarse en el sol.
El hombre es despreciable (dicen ellos), la muerte
llega tarde o temprano ¡Gocemos del calor!

Este gran gato mío arzobispal y bello
se duerme con la nana sepulcral del reloj.
¡Que le importan los senos (?) del negro Eclesiastés,
ni los sabios consejos del viejo Salomon?
Duerme tu, gato mío, como un dios perezoso,
mientras que yo suspiro por algo que voló.
El bello Pecopian (?) se sonríe en mi espejo,
de calavera tiene su sonrisa expresión.

Duerme tu santamente mientras toco el piano.
este monstruo con dientes de nieve y de carbón.

Y tú gato de rico, cumbre de la pereza,
entérate de que hay gatos vagabundos que son
mártires de los niños que a pedradas los matan
y mueren como Sócrates
dándoles su perdón.

¡Oh gatos estupendos, sed guasones y raros, y tumbaos panza arriba bañándoos en el sol! "





.Um grande bocejo da Micha
- mana do Betz -
talvez de impaciência
(...)



  • POETA ATÉ DEPOIS DO FIM E PRESCRIÇÃO
O local onde Federico García Lorca terá sido enterrado com os companheiros fuzilados em 1936 vai ser removido e os corpos exumados por decisão do juiz Baltazar Garzón que investiga as mortes e os desaparecimentos ocorridos durante a Guerra Civil de Espanha (muita gente foi morta, executada liminarmente, e lançada em valas comuns, ao estilo nazi em Auchwitz, Dachau... e das ditaduras militares sul-americanas, Chile, Argentina ou dos khmer vermelhos de Pol Pot...).

Diz arcana lenda nascida no dia da morte do poeta que, perante o pelotão de fuzilamento que o arrebataria do mundo e o levaria à Valhalla dos poetas imortais, abriu a boca, como se o Sol sobre os seus olhos fosse um beijo a desfolhar o luar – o que então podia –, e disse:

E el Sol, todavia nasce...

E calou-se nesse dia, pois hoje, ao amanhecer, veio nos raios de Sol repetir o prenúncio do teu nome em letras de mar e sílabas definitivas. Poeta, sim; poeta mesmo depois do fim.

– Porque Baltazar Garzón, do seu gabinete da Audiência Nacional em Madrid, quer desenterrar o, hoje, mais vivo de todos os espanhóis do Século XX? Sim, porquê é que os mortos não cuidam de si mesmos e deixam os vivos em paz? Sim, porquê?... – pergunta-me o meu poeta.

– Porquê os crimes contra a humanidade são imprescritíveis – respondo-lhe.

O meu poeta, torcendo o nariz ao que – como Baltarzar Garzón – penso, pediu-me tempo para pensar. O meu poeta adora as coisas impossíveis como Deus – disse-me um dia destes. É..., cada um com a sua dor, não é?
.
(Noticiado em 2008)


.
RESTOS MORTAIS de GARCIA LORCA CONTINUAM DESAPARECIDOS

.

A escavação das seis possíveis valas comuns na localidade de Alfacar, onde algumas investigações situavam o corpo do poeta Federico Garcia Lorca, terminou sem que se tenham localizado quaisquer restos mortais.

A informação foi dada pela conselheira de Justiça andaluza, Begona Alvarez, que referiu a existência de evidências científicas de que "nunca houve enterros nesta zona".

Numa conferência de imprensa para apresentar o relatório final das escavações, a responsável adiantou que as evidências científicas se baseiam na distância entre a superfície da zona explorada e a rocha encontrada, que torna impossível a existência de valas comuns naquele lugar.

Um grupo de arqueólogos realizou durante um mês e meio escavações na zona em que se acreditava que podia estar sepultado o poeta assassinado no início da guerra civil espanhola.

No início de Outubro, a família de Lorca, que inicialmente se opunha à exumação, disse aceitar a abertura das valas, defendendo que os restos do escritor possam permanecer no local.

Os dados sobre as valas descobertas foram recolhidos por especialistas do Instituto Andaluz de Geofísica da Universidade de Granada, a pedido do ministério da Justiça da Andaluzia.

A abertura das valas comuns deve-se a um pedido da família de Dióscoro Galindo - o professor que terá sido fuzilado ao lado de Lorca - que pediu a exumação dos restos mortais ao juiz Baltasar Garzon.

.

(In: Agência Lusa 18.12.2009)






"O melhor é passar pelas 'brasas',
e acreditar que os humanos
hão-de ter mais juízo".




Nota:
.
Aproveito para enviar as melhores felicitações à ESPANHA, pela conquista deste Mundial de Futebol.
Não é o meu desporto favorito, mas tenho de reconhecer a preferência das maiorias e, com a devida vénia, o mérito desta grande vitória!
Hoje sim! Podem tocar vuvuzelas à vontade, pois é realmente um grande dia de festa para o País nosso Vizinho.

15 comentários:

smvasconcelos disse...

Bonito trabalho!! Adorei as fotos , os poemas, tudo! nem imaginas...:)))) beijos,

trepadeira disse...

Meu caro César.

Sê bem vindo.

Á las cinco en punto de la tarde.

Quanto à bola?Não,nem vejo,nem escuto,mesmo assim cá chega imbecilidade quanto baste.

Um grande abraço,
mário

José disse...

Caro amigo César!
Parabéns pelo excelente post. O que eu acho no meio disto tudo, é aquelas
pessoas que estão sempre interferindo em tudo, estavam do mesmo lado dos assassinos, de Garcia Lorca,e tantos tantos outros.

Um grande abraço,
José.

Anónimo disse...

Muito interessante este artigo sobre o Grande Garcia Lorca. O Juiz Garzon é daqueles que não se dedicam apenas às escutas e à violação do segredo de justiça como hobbies como acontece muito por aí. É um homem com H grande.
\\ Quanto à nossa vizinha ter vencido é justo que se lhes dê os parabéns. O tempo das guerras e da ciumite do ganhas tu e eu não ganhei, espero que cada vez mais seja colocado de parte.
Na instrução primária quase que éramos obrigados a falar só de vitórias, como se os outros quase não existissem......\\ Garcia Lorca siempre ! Palma

Luisa disse...

Regressaste com um belíssimo post.
Garcia Lorca grande poeta e, aqui está um belo poema seu.
Não foi por acaso que foi lançado - desde a Fundação José Saramago em Lanzarote - o nome Barltazar Garzón a prémio Nobel da Paz.

Sabes que adoro gatos, logo essas fotos fazem as minhas delícias.

César Ramos disse...

smvasconcelos: Obrigado pelo comentário. Devo dizer que também adorei o Pablo Neruda e o poema do gato! Não há nunca, fumo sem fogo!

trepadeira: a dureza 11 trabalha o espírito e, c/poucas palavras, conforta mais do que mil lamechices!
Obrigado por tudo Mário.

José: chamo-lhe o meu poeta, e o caro amigo é isso mesmo. Quem havia de dizer que estamos do mesmo lado da barricada!? Começo a meter na cabeça que lhe hei-de dar um abraço em carne e osso (...)

Palma amigo: é outro que tenho em mente de também abraçar de igual modo ao José! Não se esqueçam que em Loulé já um dia me chamaram o «Inspector Maigret»! Hei-de descobrir o rasto e a rota da amizade e da comunhão de ideias e ideais.

Luísa: sempre com um complemento cultural e enriquecedor do que me faltou dizer...
O "regressaste", tocou-me! Obrigado pela força implícita nesta mensagem (...)
Lembrei-me que devo mudar também o m/Avatar! Um vírus fez-me escolher em tempo, outra foto que tinha mais à mão...! tenho de me desfardar!

Ornitorrinco disse...

Gostei muito, especialmente das fotos! eheeh

Espanha campeã? Catalunha! Basta ver a bandeira que os jogadores agitavam enquanto celebravam a vitória...

César Ramos disse...

Ornitorrinco:

Obrigado pela presença e, também, pela apreciação.

Quanto ao resto, temos de arrumar primeiro a nossa 'casa', para depois nos pronunciarmos sobre os "affaires" da vizinhança...!

Astérix teria uma opinião a dar, porque conheceu a Hispânia e os Iberos!
Naqueles tempos já jogavam à bola mas, ainda não tinham descoberto a designação de «futebol».

Para mim, os vizinhos ganharam... e está tudo dito!

Em DESPORTO, muito sinceramente, todos ganham!
O que é preciso, não é bem competir, mas sim...
PARTICIPAR!

Saozita disse...

Olá, César. Muito lindos os poemas. Relativamente ao futebol, ganhou quem melhor jogou e a equipa mais homogénea. Daí, parabéns Espanha!

Segundo rezam as crónicas e escritos sobre o grande poeta: García Lorca passou a sua última noite na companhia de três prisioneiros na estrada que liga os povoados de Viznar e Alfacar, no antigo internato La Colonia, transformado provisóriamente em prisão pelos fascistas. De esquerda, o escritor era, ao lado do professor Dióscoro Galindo e dos dois sindicalistas Joaquín Arcollas Cabezas e Francisco Galadí, extremamente odiado pelos fascistas.
Segundo Marcuse, todos os intelectuais e estudiosos, são considerados perigosos pelos que detém o poder, para a sociedade, sobretudo para a classe dominante, que teme perder o domínio e controlo dos previlégios.

A procura e investigação de crimes contra a humanidade, deve prosseguir de forma a que pelo menos se faça justiça, à memória dos que às mãos dos seus algozes pereceram!

Saozita disse...

César, agradeço a sua visita no blogue "No Livro da Vida".
Tenha uma boa semana.
Beijinho

Bia Franco disse...

Olá Amigo(a)

Já foi publicado no DRAMA NA WEB o capítulo VII do livro “É Preciso Ver os Anjos”

Não deixem de ler!

O brigada e um grande abraço a todos!
Bia Franco.

com senso disse...

É a primeira vez que visito este espaço e deparo com a enorme beleza da poesia de Lorca e com a memória viva de um momento triste de Espanha.
Uma memória importante de um país que convive com um passado dificil, que ainda não conseguiu enterrar todos os seus mortos, mas que possui gente magnifica de alma grande que faz de Espanha um grande país... mesmo sem o futebol.
Gostei muito deste espaço.
Parabéns

Ana Bela disse...

Há em Espanha um homem que luta contra todos os moinhos sem vento e decrépitos que tentam rodar naquelas paragens. Baltazar Garzón. às vezes encontram-se homens de cepa. Belo post.
Ana Bela

lili laranjo disse...

gostei da poesia foi bom passar aqui.
um beijinho

clara disse...

Parabéns pelo trabalho e pelo blogue.
Tenho andado distraída, me perdoe, não tenho seguido com atenção, nem mesmo o meu blogue. São fases da vida.