[ Vox populi vox Dei ]

2010-06-09

« DECLARAÇÃO de GUERRA às ENXAQUECAS...»

Desenho a carvão de autor desconhecido

.


Dizer sempre «não» à auto medicação



Voilá... um vídeo que deu 'dores de cabeça' a seleccionar no YouTube:




.



Enxaqueca é uma doença incapacitante



As pessoas que sofrem de enxaqueca nem sempre são compreendidas pelos que as rodeiam. Em primeiro lugar porque esta é uma doença que, na maioria das vezes, não é reconhecida como tal.

No entanto, a comunidade médica não tem dúvidas que esta enfermidade pode ser tão incapacitante como qualquer outra. O sexo feminino é o mais afectado por esta doença que tem elevados custos sociais.

As dores provocadas por esta patologia podem ser tão insuportáveis que o doente só as suporta se estiver num local completamente escuro e silencioso.

À enxaqueca nem sempre é dado o devido valor. Isto porque as pessoas tendem a desvalorizar esta doença, apelidando-as de “simples dores de cabeça”. No entanto, e ao contrário das dores de cabeça, a enxaqueca não passa com um analgésico. As dores podem ser tão fortes que se tornam insuportáveis, impedindo o paciente de realizar as tarefas de um dia comum.

É a enxaqueca, uma patologia neurológica com custos sociais preocupantes e que priva os indivíduos das suas faculdades durante as crises.

A proporção da sua prevalência é de 2 mulheres para 1 homem.A enxaqueca é entendida como uma patologia incapacitante, assumindo muitas variedades.

O início das crises projecta-se, por vezes, na primeira infância. Os adolescentes são igualmente atingidos, mas com sintomas ligeiros e de curta duração, quando comparados aos adultos.

A duração das crises depende de vários factores, mas podem durar entre quatro a 72 horas, sendo que a frequência situa-se, em média, entre as duas e as seis enxaquecas por mês.

No entanto, há especialistas que afirmam que se estes limites forem ultrapassados a doença poderá ultrapassar a enxaqueca.

Os custos desta patologia são bastante elevados, pois obriga a perda de dias de trabalho e leva também à diminuição das capacidades do indivíduo em mais de 50% durante estes períodos.

Face a estes resultados é caso para dizer que este é um problema de saúde pública.

Várias formas de enxaqueca

Olhando para as formas mais comuns, temos a enxaqueca sem aura, que afecta 60% da população com enxaqueca. Por outro lado, a enxaqueca com aura atinge uma franja de 10 a 20% dos doentes com enxaqueca. Neste caso, considera-se as auras visuais, que se caracterizam pela visualização de luzes, de cores diferentes, formas em espiral, linhas em paliçada, a cor ou a preto e branco, que se alternam em flashes.

Noutras manifestações da aura, próprias da enxaqueca, podem surgir formigueiros, falta de força na totalidade ou numa metade do corpo. As perturbações da fala ou as alucinações constituem sinais mais raros.

A enxaqueca surge em indivíduos geneticamente predispostos, com uma vasta história desta doença na família. Mas também existem factores exógenos que a desencadeiam.

Factores coadjuvantes

As perturbações do sono, o stress, determinados alimentos que ingerimos, como o queijo, o chocolate e citrinos são factores exteriores ao indivíduo que conduzem a um quadro de enxaqueca.

Esta doença neurológica é crónica e tem uma expressão clínica que se revela de forma intermitente, ou seja, vai e volta. Uma das recomendações dos especialistas é que cada doente se conheça da melhor forma, pois só assim poderá evitar factores que despoletam estas crises.

Tratamentos pouco adequados

Um estudo elaborado no Porto demonstrou que 9% dos indivíduos sofre de formas de enxaqueca pura e que 12% apresenta quadros desta doença associados a cefaleias de tensão.

A enxaqueca, segundo alguns médicos, não tem sido tratada da maneira mais correcta, isto é, logo ao primeiro tratamento. Por vezes, os tratamentos demonstram uma eficácia reduzida, o que leva a um efeito perverso: os doentes não voltam ao consultório do médico.

Stop à dor

O tratamento é elaborado caso a caso. Todavia, de uma forma geral, eis as orientações terapêuticas para casos de enxaqueca moderada ou grave: utilização de fármacos mais potentes, como os triptanos, que apresentam um bom grau de eficácia; quando as crises são muito frequentes e severas o suficiente para causar incapacidade na pessoa, a recomendação aponta para a toma diária de comprimidos durante um período de dois a seis meses; aconselha-se o repouso, o silêncio, a escuridão e o sono, porque dormir ajuda a que a crise passe. Mas a medicação é insubstituível.

Fármacos são uma solução

A prática da prescrição de medicamentos para tratamento da enxaqueca sofreu nos últimos anos uma transformação significativa. Actualmente quase se deixou de utilizar os derivados ergotamínicos devido ao abuso medicamentoso e consequentemente ao risco de adicção.

Os triptanos vieram alterar muito e melhorar a qualidade de vida destes indivíduos. Os fármacos desta nova classe caracterizam-se por actuar de forma selectiva nos receptores neurológicos da serotonina.

Eficazes no alívio dos sintomas, os triptanos diferem no tempo de acção e no aparecimento ou não de recorrência, sendo que a escolha do medicamento é feita em função da incapacidade que os sintomas da enxaqueca dão ao doente.

Os sintomas da enxaqueca

- Dores intensas e latejantes em metade ou na totalidade da cabeça;

- Agrava-se com o esforço;

- Alivia com o repouso e o sono;

- Causa osmofobia (intolerância ao cheiro), fonofobia (intolerância ao barulho) e fotofobia (intolerância a luz);

- Náuseas e vómitos; nas crianças pequenas este é um dado que ajuda a identificar a doença, bem como as explicações que elas dão sobre o que sentem.





Legenda:
-Imagens seleccionadas na Net.
-Texto publicado por Salete Costa in:
Notícias de Vouzela em 04-04-2007








6 comentários:

Palma disse...

Felizmente nunca sofri de tal mal mas conheço, como cada um de nós conhece, muitas pessoas que sofrem bastante com as malditas enxaquecas. O post informou-me de muitas coisas que não sabia em relação às ditas. Como a ciência está evoluir contínuamente estou convencido que mais tarde ou mais cedo a sua cura aparecerá. Entretanto muita paciência para quem a Natureza presenteou com tal irritante doença. Abraço - Palma -Louletania

Luisa disse...

Sofri bastante deste mal. Depois de um tratamento demorado, fiquei bastante melhor. Mas sempre aparece quando menos esperamos.

É sempre bom saber!

Abraços
Luisa

trepadeira disse...

Meu caro César

Quando tenho algum sintoma resolvo a questão na companhia da música dos bichos.Nada me faz melhor do que um passeio pela natureza selvagem.Ouço-os,observo-os atenciosamente e,sobretudo,aprendo com eles.
Tive uma pessoa de família que se dizia com enxaqueca permanente.Usava "saridon",não sei se é assim que se escreve,estou a aproveitar a pronúncia.Era viciada naqueles comprimidos minúsculos.Mas era ainda mais viciada,pensava eu ainda garotito ao observá-la,na caixa.Era engraçada,de aluminio julgo,com um pequeno orifício por onde,ao abrir,saltava a rodelita.Acho que tomava aquilo mais para mostrar a caixa do que por necessidade.Estavamos na época em que as conversas entre a fina-flôr-do-entulho eram sobre doenças e operações.Até isso servia para se mostrarem superiores.Já fui operado a isto e tenho marcada a aquilo.O médico que me atendeu não presta,não me receitou nada.Às vezes até mostravam a cicatriz e tudo,não fosse alguém duvidar.
Tenho alguma aversão a químicos.Deve ter-me ficado,também,dessa altura.
As minhas alergias trato pondo uma máscara quando vou para o meio dos pós e pólens.
Para o escape dos "ignoro" é que ainda não arranjei solução.
Cordial abraço,
mário

As Vozes.... disse...

Mais um a deixar uma «douta opinião» de café..rsss. :
1 – Coma frutas ou alimentos que contenham gordura antes de beber.

2 – Quando já estiver com a ressaca, uma inalação de oxigênio a 100% pode ajudar a combater o problema.

3 – Repor líquidos por meio de sucos de frutas naturais para diminuir a desidratação e hipoglicemia causada pelo álcool.

4 – Não tomar café, devido a sua ação diurética que aumenta a desidratação.

5 – Não beber mais para curar a ressaca, pois isso é lenda.

Se você sofre com crises de enxaqueca visite o site www.enxaqueca.com.br e saiba muito mais sobre essa dor terrível que tira o humor de qualquer pessoa.

As Vozes......

Fekmania disse...

Gostei muito do site irei freqüentá-lo mais vezes. Sofri muitos anos de enxaqueca, hoje estou livre já vai fazer uns 2 anos, não é propaganda não mas uma dica que eu dou é o site http://cefaleias.com.br/enxaqueca , tem muita informações sobre enxaqueca, ansiedade, depressão, dor de cabeça, e cefaléia em salvas. Dicas sobre tratamento, http://cefaleias.com.br/blog/tratamento-da-enxaqueca etc. Espero que gostem da dica e que eu tenha ajudado.

Anónimo disse...

geotorelxzp credit card companies
consolidate credit card debt