[ Vox populi vox Dei ]

2010-02-12

« TROVA de LÁGRIMAS SANGRENTAS... »




Lágrimas de Portugal
.
*
Meu país
De aguarelas infantis
Sorrindo de espera e ansiedade
Esquecei o tédio e a angústia
respirai paz e liberdade
Meu país
De cantares impacientes
Fluindo na memória da saudade
Prolongai a ardência da rima
Numa carícia de liberdade
Meu país
De homens caídos na luta
Ignorados da Morte pela verdade
Desprendei a voz presente - ausente
Num breve canto de liberdade
Meu país
De operários e camponeses
Ambulantes de glória e dignidade
Sinfonia de foices martelos e enxadas
A desbravar liberdade
Meu povo... minha gente... minha vida
Meu poema de rima - feliz
Nada somos nada sou
Quando
As lágrimas sangram no meu país
.
*
Aí temos... o Carnaval !...
Brincai ! ... ninguém leva a mal
(...)
mas... não esqueçais que, entretanto,
Portugal
CHORA
.
*
Legenda:
Imagens: in internet
Poema: da gaveta do Alfobre

5 comentários:

Austeriana disse...

Estes bonitos versos desenham uma espécie de invocação quase divina, talvez porque, no estado a que isto chegou, só nos restará ter fé...

Abraço

Maga disse...

Há uma gaveta no "Alfobre" que tem coisas lindas...
Não percas a chave dessa gaveta, este nosso País precisa dessas gavetas abertas!
Um abraço

Luisa Moreira disse...

Lindo poema, César

Parabéns!

Abraços
Luisa

Anónimo disse...

9.000 assinaram. 100, contando os adesivos, vestiram-se de branco arrostando o risco de morte macaca pelas balas do ridículo. Conta feita, houve 8.900 (oito mil e novecentos) libertários que se ficaram pelo protesto via rato. Assim, não vamos lá. Resta-me ir de peito feito para as pancadarias nas papelarias para disputar um exemplar da segunda edição do “Sol”. Para que Sócrates não morra de gargalhada sacana.




Publicado por João Tunes

Anónimo disse...

Penso que o estado a que isto chegou é coisa fabricada pelos profetas da desgraça, pela rede pidesca que se levantou após 36 anos da chegada da Democracia, pelos que já não respeitam eleições mas querem o poder pela força. Pela força da mentira, da injúria e da pouca vergonha. Há um Presidente em Portugal ? Não temos dado por isso. Estará em banho Maria ? Ou algures com a Maria ?
Algarvia