[ Vox populi vox Dei ]

2010-02-24

« ILHA da MADEIRA - Pérola do Atlântico »




MAX: um grande cantor madeirense



*
.POMBA BRANCA - MAX.
.
Pomba branca pomba branca
Já perdi o teu voar
Naquela terra distante
Toda coberta pelo mar
Pomba branca pomba branca
Já perdi o teu voar
Naquela terra distante
Toda coberta pelo mar
Fui criança e andei descalço
Porque a terra me aquecia
E eram longos os meus olhos
Quando a noite adormecia
Vinham barcos dos países
Eu sorria vê-los sonhar
Traziam roupas felizes
As crianças dos países
Nesses barcos a chegar
Pomba branca pomba branca
Depois mais tarde ao perder-te
Por ruas de outras cidades
Cantei meu amor ao vento
Porque sentia saudades
Saudades do meu lugar
Do primeiro amor da vida
Desse instante aproximar
Os campos do meu lugar
À chegada e à partida
Pomba branca pomba branca.
.
Maximiano de Sousa (Max) e Vasco de Lima Couto
.
Em homenagem aos madeirenses, aqui deixo esta tímida dedicatória na feição do suave poema que Max tão bem soube cantar e nos deixou como legado. Escolhi a "Pomba Branca" porque ela será para todo o sempre a Mensageira da Esperança, da Paz e do Amor Universal para conforto de todos os que lá estão, e os que se encontram longe... "daquela terra distante" ... e "toda coberta pelo mar" ...!
.
Imagens: todas recolhidas da net

6 comentários:

Zoe disse...

tenho lá uma amiga, ela está bem, mas quem pode estar bem no meio de tanto sofrimento?

Maga disse...

Valeu pela letra da canção do Max.
Ainda há bem pouco tempo andava por aqui a trautear e não consegui lembrar da letra. Obrigada, até parece que me estava ouvindo...

César Ramos disse...

Há coisas engraçadas!

De facto, por vezes, até parece que adivinhamos...

Não é difícil 'adivinhar' coisas belas e de tão grande significado como a... "Pomba Branca"!

Felizmente, os bons pensamentos conjugam-se!

Cumpts.
César

teresa disse...

Curiosamente, hoje um aluno madeirense falou-me de Max e eu contei-lhe que, durante a minha infância e juventude, vivemos na mesma localidade, na época com poucos habitantes. Quando saíamos do mesmo comboio eu verificava que era saudado com grande entusiasmo pelas ruas da baixa lisboeta, o que não surpreende, dada a sua simpatia.
Que os madeirenses, apesar das perdas e dificuldades, consigam retomar a normalidade.

♥*♥(franciete)♥*♥ disse...

Meu bom amigo estou com você nesta causa, mas temo por aqueles mais humildes e mais carenciados que sejam quem mais precisa, e de certo irão ter menor fatia do bolo,
mas quem sou eu para julgar, já diz a bíblia Sagrada, dá com a tua mão direita para que a esquerda não veja.
Agora quero agradecer de coração, pelo seu lindo comentário deixado no meu blog. Experimental e por ser meu seguidor, irei fazer o mesmo consigo deixo aqui um beijinho de luz em seu coração e o meu fraterno abraço de amiga

Sueli disse...

Tive a grande felicidade de conhecer a Ilha da Madeira. Um dos lugares mais lindos em que coloquei meus pés, nesta vida. Nunca me esquecerei. Fiquei sabendo, com imensa tristeza, da catástrofe de dias atrás. Mas, tenho certeza que, em pouco tempo tudo será recuperado. Realmente, a Ilha é a "pérola do pacífico". Um abraço!