[ Vox populi vox Dei ]

2010-02-14

« A ALA DOS NAMORADOS ... »



CALDOS de GALINHA e CAUTELAS, NUNCA FIZERAM MAL A NINGUÉM
= Estar prevenido,... não estraga a festa =


.
[ «Se receber inesperadamente um cartão electrónico de São Valentim, tenha cuidado».

O FBI alertou para a possibilidade de um novo vírus informático designado por «Storm Worm» (Tempestade de Inverno), escondido em postais de São Valentim, poder infectar hoje, milhões de computadores em todo mundo.

«Se receber inesperadamente um cartão electrónico de São Valentim, tenha cuidado», alertou o FBI em comunicado.

Uma mensagem de correio electrónico inesperado «pode não ser de um admirador secreto, mas sim conter o vírus Storm Worm», acrescentaram.

Anteriormente o vírus propagava-se através de uma mensagem de correio electrónico que informava, falsamente, de uma grande tempestade na Europa.

Contudo, segundo o produtor de Antivírus Trend Micro, este vírus está a propagar-se, desde a semana passada, sob a forma de felicitações electrónicas alusivas ao Dia dos Namorados.

A grande maioria dos vírus e dos «spam» (mensagens de correio electrónico com fins publicitários) que receberemos camuflados como postais de amor, provirão dos EUA, Rússia e China, dizem os especialistas.

A consultora de segurança informática Sophos afirma que a Rússia está a ganhar cada vez mais peso como emissora de «spam, situando-se no segundo lugar do ranking mundial entre os Estados Unidos e a China.

O motor de busca Google publicou esta semana um estudo sobre o uso do correio electrónico que demonstra que este meio é muito popular entre os jovens para expressar sentimentos.

«Os jovens estão a liderar uma mudança: é cada vez mais comum que eles usem um e-mail para tudo, desde enviar cartas de amor até acabar uma relação», assegurou Jen Grant, responsável de Marketing da Google. ]


.O costume de aproveitar esta data para oferecer algo a quem se ama, teve início em 1840, quando Esther A. Howland começou a produzir, em grande quantidade, lembranças para comemorar o Valentine's Day.

.Este procedimento foi-se alargando a todo o mundo, com o apoio (e a necessidade) dos lojistas que vêm na data uma boa oportunidade de negócio.

.Para além da compra de uma lembrança simbólica, não se deixa de oferecer um cartão à pessoa amada, mesmo que tenha cem anos e viva com ela há oitenta! Afinal, a escrita ainda tem o poder que, por vezes, a fala perde!

.Para muitos é uma perda de tempo, para outros uma invenção comercial, mas, independentemente da possibilidade de ideias feitas, o Dia dos Namorados pode ser a oportunidade perfeita para muitas situações.

.Julga-se apaixonado e ainda não deu um passo em frente? Com a ajuda do S. Valentim e um rasgo de imaginação, o seu amor pode ser declarado e, quiçá, retribuído " in big style "!

Mas se já encontrou a sua alma gémea, este dia obviamente também é para si, e já na condição de 'usufrutuário' da condição de "Namorado".

.Não banalize o dia com as tradicionais flores e bombons, e programe um fim de semana bem romântico! A desculpa de ter pouco dinheiro não serve! Isto é um argumento para os patrões andarem com o salários em atraso! Não entre nesse jogo sujo!

Estamos num dia de amor e é necessário fazer jus a isso, apelando à criatividade para fazer do dia dos namorados um dia diferente dos outros em que também se namora!

.Afinal, o que interessa realmente neste Dia, assim como noutras datas importantes para os casais, é que cada um se sinta único e especial.

.Pode parecer um cliché lamechas, mas a verdade é que sempre que alguém, mesmo que não seja por motivos românticos, nos faz sentir únicos, nós damos o melhor de nós e potenciamos resultados extraordinários.

.Tudo precisa de ser cultivado e as relações humanas, independentemente do seu carácter, vivem da dedicação que as partes envolvidas lhes dão.

.Assim, não deixe para outra oportunidade e viva o Dia dos Namorados com paixão e toda a entrega sentimental a que tem direito.

.

Noções básicas de São Valentim e o Dia dos Namorados:


Entre nós, o Dia dos Namorados celebra o amor, a paixão entre amantes e a partilha de sentimentos. Todos os anos, no dia 14 de Fevereiro, ocorre a azáfama da troca de chocolates, envio de postais e de oferta de flores. Muitos casais planeiam jantares românticos, noites especiais e fazem planos para surpreender e agradar à sua «cara-metade». Há também quem escolha este dia para se declarar à pessoa amada e também quem avance com pedidos de casamento, embebido pelo espírito do dia.


A História:

.
O Dia dos Namorados é celebrado naquele que até 1969, era o Dia de São Valentim. No entanto a Igreja Católica decidiu não celebrar os santos cujas origens não são claras. Isto porque até nós chegaram relatos de pelo menos dois Valentim, santos martirizados, directamente relacionados com o dia 14 de Fevereiro.

As raízes deste dia remontam à Roma Antiga e à Lupercália, festa em homenagem a Juno, deusa associada à fertilidade e ao casamento. O festival consistia numa lotaria, onde os rapazes tiravam à sorte de uma caixa, o nome da rapariga que viria a ser a sua companheira durante a duração das festividades, normalmente um mês. A celebração decorreu durante cerca de 800 anos, em Fevereiro, até que em 496 d.c., o Papa Gelásio I decidiu instituir o dia 14 como o dia de São Valentim, para que a a celebração cristã absorvesse o paganismo da data.

A dúvida persiste no entanto, em saber a qual dos santos se refere este dia. Muitos acreditam tratar-se de um padre que desafiou as ordens do imperador romano Claudio II. A lenda diz que o imperador proibiu os casamentos com o argumento de que os rapazes solteiros e sem laços familiares, eram melhores soldados. Valentim terá ignorado as ordens e continuado a fazer casamentos em segredo a jovens que o procuravam. Segundo a lenda, Valentim foi preso e executado no dia 14 de Fevereiro, por volta do ano 270 d.c.

Outra lenda diz que um outro padre católico se recusou a converter à religião de Claudio II, e este mandou prendê-lo. Na prisão, Valentim apaixonou-se pela filha do carcereiro que o visitava regularmente, a quem terá deixado um bilhete assinando: «Do teu valentim» (em inglês, «from Valentim»), antes da sua execução, também em meados do século III..


Nesta lenda, a conotação do dia e do amor que ele representa não se relaciona tanto com a paixão, mas mais com o «amor cristão» uma vez que ele foi executado e feito mártir pela sua recusa em rejeitar a sua religião.


.Este apontamento dá para nos apercebermos porque é que se chama assim ao dia de hoje. Todavia, sempre se namorou e bem, sem quaisquer santos a marcarem-nos datas nem pontos de encontro, pois isso pertence ao livre arbítrio dos seres humanos.

.Começámos por pretender insinuar (acusar), que estão servindo-se dos vossos sentimentos para facturarem em nome de Cupido!

.Se namoram é porque já são pessoas crescidas e troquem as prendas que acharem por bem oferecer, mas pelo prazer do dar e do receber.

O mais importante é que tirem o domingo para celebrar, ou tomar a iniciativa daquela declaração especial, que só um homem e uma mulher é que reunem as faculdades naturais na perspectiva da continuação da espécie humana (...)

4 comentários:

Zé Manel disse...

Desta gostei!
Só não gosto das fuças daquele assassino que tinha a alcunha de Che...
Mas isso são outros 25 tostões.

Luisa Moreira disse...

César,

Sinto-me única, acredite.
Faço votos para que entregue, uma prenda a alguém especial.


Abraços
Luisa

Zoe disse...

viva César
Escolhemos a mesma imagem de S.Valentim para ilustrar os nossos respectivos posts!
Quanto ao dia em si, de facto, não ligo nada. Mas, é geral. não gosto das comemorações dos dias: O dia do animal, o dia dos namorados,po dia da mulher,...
abraço
zoe

Zé Manel disse...

Dia de Juno Februra - Dia dos namorados.
Dia 14 de Fevereiro é consagrado no calendário romano a Juno Februra, Deusa da Paixão Amorosa e Senhora deste mês.
No dia 15, entretanto, celebravam-se a Lupercália, das quais já aqui se falou antes e que, como se disse, constituia uma celebração eminentemente sexual, plena de licenciosidade e fornicação a rodos, com os jovens a trajarem peles de bode e a chicotearem as jovens para as fertilizar, para depois se prosseguir para o acto sexual em larga escala.
Por «coincidência», os cristãos resolveram dedicar esta data ao seu «S. Valentim»... o que, quanto a mim, trata-se de mais um dos múltiplos episódios de usurpação cristã das tradições genuinamente europeias. Aliás, a cor do dia de S. Valentim é o vermelho, que é a mesma cor do dia da Lupercália, celebração de Fauno, Deus da Floresta e dos Animais Selvagens.
No norte transmontano, por sua vez, as celebrações solsticiais e carnavalescas dos jovens são essencialmente semelhantes à Lupercália romana.