[ Vox populi vox Dei ]

2009-12-08

«"FERNANDO PESSOA" ... ao POVO SAHARAUI»


.[POESIA PATRIÓTICA... DEDICADA a AMINETU HAIDAR a HEROÍNA DA LIBERDADE]
.«Mensagem de FERNANDO PESSOA - Poesia Nacionalista»
.
A Europa jaz, posta nos cotovelos:
De Oriente a Ocidente jaz, fitando,
E toldam-lhe românticos cabelos
Olhos gregos, lembrando.
.O cotovelo esquerdo é recuado;
O direito é em ângulo disposto.
Aquele diz Itália onde é pousado;
Este diz Inglaterra onde, afastado,
A mão sustenta, em que se apoia o rosto.
.
Fita, com olhar 'sfíngico e fatal,
O Ocidente, futuro do passado.
.O rosto com que fita é Portugal.
.
O das QuinasOs Deuses vendem quando dão.
Compra-se a glória com desgraça.
Ai dos felizes, porque são
Só o que se passa!
.
Baste a quem baste o que lhe basta
O bastante de lhe bastar!
A vida é breve, a alma é vasta:
Ter é tardar.
.
Foi com desgraça e com vileza
Que Deus ao Cristo definiu:
Assim o opôs à Natureza
E Filho o ungiu.
.
O mito é o nada que é tudo.
O mesmo sol que abre os céus
É um mito brilhante e mudo -
O corpo morto de Deus,
Vivo e desnudo.
.
Este, que aqui aportou,
Foi por não ser existindo.
Sem existir nos bastou.
Por não ter vindo foi vindo
E nos criou.
.
Assim a lenda se escorre
A entrar na realidade,
E a fecundá-la decorre.
Em baixo, a vida, metade
De nada, morre.
.
Se a alma que sente e faz conhece
Só porque lembra o que esqueceu,
Vivemos, raça, porque houvesse
Memória em nós do instinto teu.
.
Nação porque reencarnaste,
Povo porque ressuscitou
ou tu, ou o de que eras a haste -
Assim se Portugal formou.
.
Teu ser é como aquela fria
Luz que precede a madrugada,
E é já o ir a haver o dia
a antemanhã, confuso nada.
.
Todo começo é involuntário.
Deus é o agente.
O herói a si assiste, vário.
E inconsciente.
.
À espada em tuas mãos achada
Teu olhar desce.
"Que farei eu com esta espada?"
.
Ergueste-a, e fez-se.
.
As nações todas são mistérios.
Cada uma é todo o mundo a sós.
Ó mãe de reis e avó de impérios,
Vela por nós!
.
Teu seio augusto amamentou
Com bruta e natural certeza
O que, imprevisto, Deus fadou.
Por ele reza!
.
Dê tua prece outro destino
A que fadou o instinto teu!
O homem que foi o teu menino
Envelheceu.
.
Mas todo vivo é eterno infante
Onde estás e não há o dia.
No antigo seio, vigilante,
De novo o cria!
.
Pai, foste cavaleiro.
Hoje a vigília é nossa.
Dá-nos o exemplo inteiro
E a tua inteira força!
.
Dá, contra a hora em que, errada,
Novos infiéis vençam,
A bênção como espada,
A espada como bênção!
.
Cantar de Amigo
O plantador de naus a haver,
E ouve um silêncio múrmuro consigo:
É o rumor dos pinhais que, como um trigo
e Império, ondulam sem se poder ver.
.
Arroio, esse cantar, jovem e puro,
Busca o oceano por achar;
E a fala dos pinhais, marulho obscuro,
É o som presente desse mar futuro,
É a voz da terra ansiando pelo mar.
.
O homem e a hora são um só
Quando Deus faz e a história é feita.
O mais é carne, cujo pó
A terra espreita.
.
Mestre, sem o saber, do Templo
Que Portugal foi feito ser,
Que houveste a glória e deste o exemplo
De o defender.
.
Teu nome, eleito em sua fama,
É, na ara da nossa alma interna,
A que repele, eterna chama,
A sombra eterna.
.Que enigma havia em teu seio
Que só génios concebia?
Que arcanjo teus sonhos veio
Velar, maternos, um dia?
.
Volve a nós o teu rosto sério,
Princesa do Santo Gral,
Humano ventre do Império,
Madrinha de Portugal!
.
.[Fernando Pessoa, um valor Universal]


3 comentários:

Anónimo disse...

Salaam Mr.Caesar
Agradeco nobre intencao deste poema por representar teu país que
tambem lutou pro independencia muitas veses.Mabruk por teu leal corazaon.
Chokran, my friend.
Ahmed Al Rashid

Luisa Moreira disse...

Poesia Patriótica, tanto quanto é Aminetu. Fala-se muito de Pessoa e de alguma poesia sua, mas esta Poesia, é muito raro alguém a evocar. Tal como vejo pouca movimentação, para dizer ao Mundo que uma mulher está a morrer, pela Libertação dos seus ideais e do seu País.

Cavaco Silva, enviou condolências, ao Presidente Russo, pelas mortes no incêndio de uma boite, ainda não o ouvi falar no caso desta Mulher. Saiu-se para a rua, por Timor, pelo Iraque, porque não se faz o mesmo contra Marrocos?


Abraços*
Luisa

Nuno Hipólito disse...

Tem belos textos sobre Pessoa. Por isso convido-o a visitar o meu blog e página Facebook:

http://umfernandopessoa.blogspot.com