[ Vox populi vox Dei ]

2009-10-05

REPÚBLICA - PENSAMENTO do DIA




.

« Eduquemos cidadãos, não príncipes. »

.

BERNARDINO MACHADO (1851-1944), Político e Filófofo.
Em 1915 foi eleito Presidente da República Portuguesa, cargo que foi forçado a abandonar, em 1917, pela revolução chefiada pelo Dr. Sidónio Pais.

.
Quando em 1925, Teixeira Gomes renunciou à chefia do Estado, voltou Bernardino Machado a ser eleito Presidente da República.

.
Deposto pela revolução de 28 de Maio de 1926, partiu para o exílio, donde expressou a sua contrariedade ao achar indigno inaugurar-se o Monumento da Estátua do Dr. António José de Almeida, pelos revoltosos da nova Ditadura Militar!
.
De facto,... este político, por duas vezes democraticamente eleito (...) por duas vezes foi deposto por engenharias militares golpistas!... Valer-lhe-ia, para a sua auto estima, a formação de lente catedrático de Filosofia na Universidade de Coimbra! (...)
.
No entanto, e à distância,... nunca abandonou a sua participação enérgica, pugnando pelos seus ideais políticos! (...)
.
O documento acima publicado, é a sua mensagem indignada, emitida de Biarritz a 4 de Fevereiro de 1932 contra a forma de inauguração do Monumento ao Caudilho da República, conforme acima descrito e já narrado no post anterior, publicado nesta data.
.
Casualmente, olhámos, já tarde para o jornal Correio da Manhã de hoje, que divulga o pensamento [do dia] acima mencionado de Bernardino Machado e, onde vem algum 'desvendar' de um mistério em livro a lançar brevemente, 'segredo' guardado há 99 anos numa morada onde nasceu Fernando Pessoa!
.
Tem ingredientes q.b., para estimular o interesse de se saber algo que a Maçonaria 'entreaberta' permitirá que se saiba,... sobre a' sua mão' na Implantação da República!
.
Esperemos que, não venham ao fim de quase um século, "revelar" a razão do verdadeiro herói militar do 5 de Outubro de 1910, Machado dos Santos, ter sido assassinado por se deixar arrastar nas teias de uma corrente filosófica sim, mas de todo sem intervenção activa do movimento revolucionário republicano! (...)
.
Temos a História dos factos,... [também]! ... e é' segredo' que, não estava fora de Lisboa, como vem no jornal; mas, está em Actas, e dentro de Lisboa!... não venham com mistificações de ficção açambarcadora de méritos alheios para vender livros pretensamente históricos e sensacionais, como foi o Código da Vinci!... do mesmo autor, também se preparam para 'revelar' verdades 'emocionantes' e, ... 'discretamente'... maçónicas! (...)
.
Um bom resto de 5 de Outubro (...)

2 comentários:

Luisa Moreira disse...

Leitor atento e, interessado por causas. Revela-nos aqui, isso mesmo.
Bom gosto, por não gostar de livros com conteúdos sensacionalistas, como o Código da Vinci.

Abraço
Luisa

Anónimo disse...

Hoje comemoram-se os ideais da República, isto é, a perseguição à Igreja Católica, a censura, a fraude eleitoral, a manipulação de cadernos eleitorais, o assassinato político, as milícias armadas, a revolução permanente, a ingovernabilidade, o regime de partido único (com apêndices) e a decadência económica (a pior década do século XX).
(Escrito a 5 de Outubro por João Miranda em "Belsafémias")