[ Vox populi vox Dei ]

2009-07-08

O AVÔ DA REPÚBLICA






Para certas pessoas, falar delas, ou dos seus, dá direito a um bloqueio mental inibidor de todas as narrativas de memórias pela responsabilidade de se poder falar demais, ou a preocupaçãao de se dizer de menos.

A facilidade com que nos metemos na vida dos outros, como por exemplo: discutir a vida privada do D.Pedro e da D. Inês de Castro, a vida íntima do primeiro ministro, se é namorado, ou não, de uma senhora que será jornalista, as aventuras e desventuras de outros políticos na sua conduta de vida mais ou menos liberal, quanto às noitadas, ou jogatanas de negócios pouco claros, as chegadas a casa às tantas da matina da filha dos nossos vizinhos do 5º esquerdo, enfim... a Liberdade metediça e sem qualquer cerimónia!

Porém, falar de nós [é que era bom!], não nos dá disponibilidade nenhuma e somos censores inquisitoriais com direito a instaurar 'processos' à moda do Santo Ofício, com 'fogueiras' no Terreiro do Paço, e o mais que se achar por conveniente...

Está visto que "não sei" como hei-de começar por apresentar a pessoa que está retratada em cima, e que 'rotulei' de "Avô da República"; da República,... e meu também(...)

Reinava em Portugal o Senhor D.Luís, quando nasceu António Moreira do Santos, meu avô materno, no ano de 1882.

Foi um reinado calmo sob a autoridade régia de um dos Reis portugueses mais educados e humanos, que a plebe jamais tinha visto!

Tão calmo e tão tranversal que, permitam-me assim evocar, El-Rei D.Luís I não teve, como Monarca, qualquer prurido, ou qualquer outro sentimento 'plenipotenciário' no sentido do eu, e só eu e, sempre eu... e,... foi 'permissivo' a que o Partido Republicano nascido em 1880, instalasse na Câmara o primeiro Deputado Republicano.

A implantação da República Portuguesa teve mesmo que ser com revolução, pois democráticamente jamais conseguiria forma de içar a bandeira verde rubra! Tinha sempre poucos votos...

Anos depois da Implantação, o Dr. sr. António José de Almeida [era assim que se apresentavam os cidadãos - a importância da 'senhoria' sempre junta ao nome, ao arrepio de títulos honoríficos] é eleito o Presidente da República que durante mais tempo chefiou o Estado naquela época.

Era tio do meu avô, mas quando o sobrinho 'descobriu' os assados em que andava metido o familiar, já no 5 de Outubro de 1910 o sr. Moreira [o avô!] estava na Rotunda, não a vêr passar carros eléctricos, mas a saudar os Heróis que 'viraram' o país e, até hoje, plantaram e enraizaram a República.

O pai dele, meu bisavô, conforme textos aqui publicados sobre locomotivas e comboios, foi Mineiro requisitado para os trabalhos de abertura do túnel do Rossio.
Concluídas as obras, foi-lhe oferecido um lugar nos quadros da Companhia dos Caminhos de Ferro.

Naturalmente, isto de ser ferroviário é uma 'panca' que se pega, e o filho, meu avô portanto, encetou por sua vez carreira na dita Companhia, daí a farda que enverga na fotografia que acima ilustro.

Alguém terá pensado que era um militar, com aquele ar garboso no boné, colarinhos à 'raios-te-parta', e a 'palafrenália' de abotoaduras e correntes da 'cebola' das horas?

O que ele mais detestava usar era o símbolo da monarquia que estava bordado no boné,
mas deu tempo ao tempo e, no dia D, na hora H, não só arrancou a 'coroa', como se decorou de verde e vermelho antecipando a festa da vitória, enquanto o Almirante Cândido dos Reis se suicidava, precipitadamente, receoso da derrota.

O grande "obreiro" da revolução, foi o segundo-tenente sr. Machado Santos, homem que, sem exagero, estando em todo o lado, fez a revolução 'sózinho' com a ajuda das suas dragonas [montanha de dourados decorativos da farda sobre os ombros], pois para os outros militares indecisos 'passou' por uma grande patente da Marinha de Guerra e obedeceram-lhe!... O que mais não digo,... dará para deduzir(...)

Apresento uma foto de uma 'Máquina da CP' - vulgo locomotiva - a que chamavam "Ratinha", por ser a mais pequenina da Operacionalidade da Companhia.

Teria o meu avô apenas oito anos quando esta aquisição chegou aos trabalhos, após a sua construção na Societé Cokerill na Bélgica em 1890.

Como eu a conheci de perto pela mão do meu avô que acompanhava com excesso de zelo a sua manutenção e, na mesma medida durante a noite ia verificar por sua conta e risco a altura da chama dos faróis sinalizadores [então a petróleo], e regulava os registos das torcidas para poupar combustível, e evitar que o negro de fumo sujasse o interior dos aparelhos iluminantes, e etc. etc., nem medalha de cortiça teve!...

Hoje, a pequena mas de extrema força "Ratinha", jaz no Museu da C.P. do Entroncamento, e o meu avô nuns 'terrenos' contíguos à Igreja de S.Martinho da Cortiça (...)

A Ratinha, tal e qual o sr. MOREIRA dos SANTOS, sangue do meu sangue, perduram para além do tempo, resistindo ao baixar dos braços com que as pessoas vão arrumando tudo e todos com o nome de morte, quando, afinal estamos a lidar com teimosos que deixaram o carácter e a coerência ao serviço da sua eternidade!...

Na Estação de Alcântara-Mar ainda lá está [outro resistente!] um azulejo alusivo ao 3º. Prémio do "Concurso das Estações Floridas" [S.N.I.], referente ao ano de 1941, ganho pelo meu avô, entre as mil e uma estações da CP do país, naquele ano, ele que gostava de agricultura e de plantas, respondeu ao desafio de apresentar a "sua" Estação de Caminhos de Ferro, à sua MANEIRA! [faz lembrar a dos Xutos e Pontapés].

Entregou-se nas horas vagas à Jardinagem e, para espanto geral, agradou ao Júri do Concurso ao nível do terceiro lugar, enquanto que o Chefe da Estação se 'agradou' do dinheiro do prémio, locupletando-se com ele!!... mais palavras, para quê?...

Reformado aos 70 anos porque a Companhia não podia tê-lo como funcionário durante mais tempo, teve que entregar a vivenda da CP que lhe estava distribuida, situada à beira-mar [perto das 'Docas' de Alcântara], e, com muito custo, lá teve de regressar à terra natal - S.Martinho da Cortiça - onde passei a ir nas férias grandes do Liceu.

À noite, muito sossegados, deitados na eira, de papo para o ar, a apanhar o fresco depois da 'caloreira do dia', lá me explicava que no outro dia ia chover porque o céu assim, e o horizonte assado,... passeava-me pela estrada de Santiago e mostrava-me o 'Jardim Zoológico' das Ursas e outras constelações...

Um dia, abriu o coração e disse-me que gostava muito da Terra dele, mas tinha um grande desgosto consigo: - É que os seus conterrâneos,... eram todos... uma cambada de «TALASSAS»! [monárquicos]

No entanto, todas as casas senhoriais de S.Martinho e pelo país, ainda tinham os Brasões tapados com panos negros!

'Felizmente', já não assistiu ao "strip-tease" dos Talassas, passados tempos.

Mas conseguiu 'desforrar-se' no Padre que o procurou para saber a razão da sua ausência na Igreja!

O meu avô, que era também Avô da República, mandou-o entrar, por delicadeza, e discretamente fez com que o sr. Padre encarasse com uma grande almofada bordada,
que é a Bandeira da República!

O Padre, que "sabia" Latim, 'compreendeu' e
nunca mais 'chateou'
o republicano (...)

6 comentários:

Alzira disse...

De onde tiraste essa foto do azulejo alusivo ao tal Prémio?

Zulu Mike disse...

Meu caro César, é SEMPRE um prazer ler a tua prosa, mesmo sendo um pouco vaidosa... por falares de ti e da família.
Mas isso só demonstra a tua educação e os valores que os teus antepassado te souberam incutir.
Agora, citando o que escreveste " a vida íntima do primeiro ministro, se é namorado, ou não, de uma senhora que será jornalista," não deverias ter escrito "ou será namorado ou não de um senhor que será actor???
Má línguas, é evidente...

Ornitorrinco disse...

que giro! não sabia...

T disse...

Se calhar apareceu a foto da estação numa Panorama de 1941. Tenho que investigar.

César Ramos disse...

Para " T " dos «...Dias...»,

Agradeço ter detectado o post e, ainda mais por diligenciar na investigação do 'Caso da cerâmica ignorada'!...

A Estação já sofreu mais do que as 'vítimas' das 'plásticas!... nada é do que foi ... mas,... vá lá,... mantém a «jóia» da 'coroa'!

On verra (...)

T disse...

Qui vivra, vrra:)