[ Vox populi vox Dei ]

2009-07-14

If... it Be Your Will, L.Cohen




O anterior post teve «If» como "detonador"; continuando com a mesma partícula apassivante [se], também realçando a poesia, decidi rabiscar este texto após ter aleatoriamente ouvido na rádio uma música de um dos meus poetas cantores preferidos - LEONARD COHEN - na interpretação de: "If It Be Your Will" (...)

Poeta, compositor, cantor e escritor canadiano, consta que se iniciou na música para melhor veícular a sua belíssima poesia para um público mais vasto, como é o do mundo do espectáculo.

Tenho uma 'secreta' paixão pelo simbolismo da Bandeira Canadiana, daí ter escolhido a foto que encima este 'post' na medida em que sublima toda e qualquer carga nacionalista, porquanto uma simples folha de árvore diz mais do que uma sofisticada bandeira de tecido, por mais requintado, conseguiria transmitir...
apesar do seu estilizado 'escudo' (...)


LEONARD COHEN, o judeu canadiano de origem europeia... transpira poesia por todos os poros e,... os seus poemas denunciam profundas notas biográficas ...

« If It Be Your Will »


If it be your will
That I speak no more
And my voice be still
As it was before
I will speak no more
I shall abide until
I am spoken for
If it be your will

If it be your will
That a voice be true
From this broken hill
I will sing to you
From this broken hill
All your praises they shall ring
If it be your will
To let me sing
From this broken hill
All your praises they shall ring
If it be your will
To let me sing

If it be your will
If there is a choice
Let the rivers fill
Let the hills rejoice
Let your mercy spill
On all these burning hearts in hell
If it be your will
To make us well

And draw us near
And bind us tight
All your children here
In their rags of light
In our rags of light
All dressed to kill
And end this night
If it be your will

If it be your will.


COHEN, em 1994, consolidando a sua aproximação com o budismo passou a viver no Mosteiro de Mount Baldy Zen Center, próximo de Los Angeles. En 1996 foi ordenado Monge, e ganhou o nome Dharma (1) de JIKAN ["Silencioso"].

Esta experiência no Mosteiro durou até 1999. Porém, Leonard Cohen considera-se Judeu acima de tudo na sua vida, salientando que não é um buscador de novas religiões... e, na verdade, nada obstou a passagem por monge budista, porque aquela vivência articula-se sem conflitos com profanos, dada a sua riqueza teosófica.

(1) - Dharma, é a base das filosofias, crenças e práticas que tiveram origem na India. É uma palavra Sânscrita que significa "Lei Natural", ou "Realidade" [Todas as pessoas deveriam ler "A Doutrina Secreta" de Madame Helena P. Blavatsky].

N.B. Se tivesse sido possível o contacto com a 'Doutrina' antes de passarem às lutas entre 'representantes' da bíblia e 'os' do al-corão, o mundo talvez fosse menos 'excitante', mas de certeza mais seguro!(...) surgiria como um lótus, i.e. através de um universo "não lógico", o reiniciar do Homem, despromovê-lo da sua importância!... acção visionária agora,... talvez escolha para depois de amanhã (...)

Um jornalista de rádio, Paul Kennedy, em 2005 liderou uma campanha sugerindo à Academia Sueca a hipótese de Leonard Cohen ser considerado candidato a Prémio Nobel. A iniciativa em tom de proposta inocente, tinha um enorme apoio dos fãs; porém, parece que naquela Academia não se deixam "influenciar" por campanhas, pois 'sabem' decidir por eles próprios, sem 'empurrões'...

Em Portugal, passou-se algo 'parecido' há anos com a possibilidade de Saramago "ir" ao NOBEL mas, o "Rei do Cavaquistão" que então reinava tirou-lhe o tapete e,... Saramago só mais tarde é que viu estenderem-lhe a passadeira do prestigiado... Prémio.

Pode ser que, quando a Ilustre Academia se 'esquecer' de Paul Kennedy, se debruce sobre o valor literário de Leonard Cohen e o ache digno do NOBEL da Literatura, pois ninguém duvida que, pelo menos,... as suas "letras",... são pura poesia (...)

" If... it Be Their Will "

5 comentários:

César Ramos disse...

Google lembrou-me que tinha já feito uma referência a Leonard Cohen no post "Cega-Rega's Song"
publicado em 2009-04-02.

Obrigado Google

Zulu Mike disse...

Isto não é um blogue, isto é uma fonte de cultura!!!
Parabéns ao autor!

Luisa Moreira disse...

É para visitar mais vezes...........

dRAMOs disse...

Pronto. Admito que nunca gostei de o ouvir... mas não deixa de ter o seu valor!

teresa disse...

Admiradora incondicional e permanente de Cohen, não pude deixar de vir espreitar o post na sequência do comentário de há pouco no "Dias". Que poema bem escolhido! (embora com LC eu tivesse dificuldade em destacar 'um'poema, sem dúvida que é meritório do prémio sueco).