[ Vox populi vox Dei ]

2009-06-15

"A ANDAR DE ELÉCTRICO"




O "Planisfério" aqui representado, mostra os diversos "pontos" do nosso Planeta onde, supostamente e de acordo com o 'sitemeter', há Leitores que de alguma maneira encontraram este Blogue e lhe dedicam alguma atenção.

A ser assim (como gosto de acreditar), expresso desde já o meu Obrigado.

Sendo a "Comunicação" para mim algo de mais importante do que a própria 'comida'
[não estou a subestimar a "Fome"!!], nem que esteja a 'desabafar' para uma única pessoa, se estiver a ser 'escutado' já é motivo de satisfação!

Mais uma vez estou tardiamente agarrado ao teclado, mas é o 'espaço/tempo' que tenho disponível para tentar estabelecer contacto, nem que seja da forma dos chamados "encontros-imediatos", seja de que 'grau' for!

Como veículo de transporte, eu que em 'posts' anteriores já mencionei aviões, helicópteros e outros meios de viajar para além dos da 'imaginação', decidi dizer algo sobre os simpáticos CARROS ELÉCTRICOS da Companhia Carris de Ferro de Lisboa.

Lisboa não tem o monopólio destes 'engenhos'; é algo que se não se encontrar já em funcionamento num lado, há a certeza de noutros sítios serem vistos a funcionar bem, e outras vezes não pelos engarrafamentos de trânsito que provocam!

Portanto, tratando-se de um meio cosmopolita de locomoção mecânica em nada estranho a ninguém, apenas pretendo lembrar alguns 'items' que não são generalistas e, foram, no tempo, muito legitimamente rubricados com assinatura lisboeta.

Não é necessário sugerir que através da Internet e de maneira bem desenvolvida, toda e qualquer curiosidade sobre os "AMARELOS" e seus ascendentes, será cabalmente satisfeita.

No entanto, imaginar «andar de eléctrico» pelos vários pontos da nossa "Velha Terra", sentado, de pé, ou "à pendura" como dantes se podia fazer, é uma pequena loucura que na certa não nos inibirá do direito de se ser "peão", correndo atrás deles para os apanhar em andamento, ou vice-versa, como os antigos "ardinas" o faziam de forma ímpar e acrobática!

Quem andasse 'à pendura', lá tinha o 'pica-bilhetes' a bater com o alicate na carrossaria do 'Eléctrico', a obrigar a saltar para o chão o infractor passageiro clandestino sem bilhete.

A fotografia obtida para ilustração do texto, mostra um 'carro eléctrico' cheio de modernices, e/ou próteses para contentar a segurança dos tempos recentes: portas automáticas que impedem a prática de 'atletismo' que, noutras eras, substituíam os Ginásios!

Os 'avós' do 'Eléctrico' foram os "Americanos" e os "Choras" que, nos seus tempos eram puxados por cavalos e percorriam Lisboa e arredores deslizando as carruagens sobre carris.

E como eram carris, não foi de todo difícil a imaginação, ou a falta dela, de chegar ao nome da Companhia que, depois de electrificada e até hoje, é conhecida por 'CARRIS'.

Ainda sem "estarmos" na Europa, já os súbditos britânicos 'ajudaram' no nosso 'desenvolvimento' ao tomarem a Carris como sua, nos esquemas financeiros de accionistas e outras engenharias 'económicas'...

Um dia "hei-de saber", já que tanta investigação tem havido recentemente no vasculhar e publicar "êxitos" editoriais sobre o 'Estado Novo', a razão porque o Antigo Regime [alérgico a greves], fez 'vista grossa' a uma greve da Carris na década de 60 [meados], para não dizer que a apoiou,... ou mesmo... fomentou!

Talvez algum 'arrufo' com os "Súbditos Britânicos"! que, tendo a "tal aliança" com
Portugal, sempre andaram a dar "facadas no matrimónio"!... Será? Os Historiadores que não se tiram do Arquivo da Torre do Tombo, talvez ainda venham a "tropeçar" sobre este episódio que, por insólito, me deixou sempre da cor dos carros eléctricos: «AMARELO»!

Poderia acabar assim o texto, mas lembrei-me de um «passageiro diário» dos tempos do princípio da primeira República que, todos os dias, ia para o trabalho... e regressava a casa ... sempre de "CARRO ELÉCTRICO"!

Chamava-se TEÓFILO BRAGA, era Doutor,
e exercia o Cargo de
PRESIDENTE DA REPÚBLICA.

Ainda hoje há quem diga: «Eu não sou parvo! ou julgas que ando para
aqui só para vêr 'andar os carros eléctricos'?»

Se calhar,... até andará!...
e a vêr navios, também!

3 comentários:

O Patriota disse...

Gostei da referência ao nosso Presidente Doutor Teófilo Braga, que andava de eléctrico.
Agora imaginem o sr. Silva ou o Sr Pinto de Sousa, para não falar noutros figurões A ANDAR DE ELÉCTRICO!!!
Bom, os seguranças invadiam o "amarelo" e mais ninguém podia ir, ou seja, o povo é o povo, a "realeza" é a realeza.
Talvez por isso se tenha gasto UM MILÃO DE EUROS a comprar po-pós para os senhore presidente e vices-presidentes da Assembleia da República!
E só o presidente da A.R. tem dois, como se fosse possível a dualidade de tão "veneranda" personagem...
Enfim, por estas e por outras é que o Dr. Salazar deve andar às voltas na cova, pior que um carrossel!!!
Cambada...!!!

Gsarco disse...

Hoje, nem de Táxi Aéreo!

Carro Eléctrico? isso dá choque e só é bom para a 'corja'!...

É de Falcon e,... upa-upa!...

O Professor não andará às voltas na campa, pois deve estar sossegado e, sem dar nas vistas!

Não vá lá outra vez o Gen.Umberto Delgado e o Cap. Henrique Galvão chateá-lo, requisitando-o de novo, para mais tarde se arvorarem em opositores! é que jeitos, nem a avó do Salazar os fazia ...

E chulos e chapéus, há muitos! até demais!

Carro eléctrico não digo, pois os tempos são outros e há que compreender! mas uma cadeirinha eléctrica, dava-lhes um rico sentar...

Gsarco disse...

Com o avanço das experiências genéticas, em que no tempo de Hitler chamaram crimes contra a natureza, aconteceu no comentário anterior saír o General Delgado com o 'primeiro nome' sem a letra "H"!!

[deveria ser Humberto]

Mas, o Homem andava já tão podre e abandonado por todos os camaradas políticos que, andando a caír aos bocados, até o nome já tinha lepra,
e faltavam-lhe letras.