[ Vox populi vox Dei ]

2009-05-29

RECORDAR ... é... VOAR !



Esta foi a segunda "máquina voadora" que aprendi a 'dominar' [ou dominava-me ela a mim?], com bons sustos... nos bons tempos...

Denominada T-6 HARVARD, foi o Modelo de Aeronave Militar com maior número de unidades de sempre a servir Portugal, nomeadamente na Guerra do Ultramar, para a qual foi necessário fazer alterações, tais como suportes debaixo das asas para bombas, metralhadoras e ninhos de foguetes.

A Força Aérea Portuguesa talvez tenha sido o último utilizador do T-6 em Operações Militares reais, tendo mantido alguns aviões na Base Aérea de Tancos para treino Operacional de Pilotos até 1978, data em que foram "abatidos" ao efectivo.

Habilitei-me com «Brevet» T6 Harvard na Base Aérea de Sintra onde "pinguei" muito suor, e retirei 'momentos' inesquecíveis de Camaradagem como não deve haver em mais lado nenhum na Vida!

Acredite-se ou não, até os aviões faziam parte da nossa pele! com risco de sermos "cremados", fazíamos tudo para salvar um 'aparelho' como se fosse um "ser" igual a nós! ... não! não era salvar o avião porque tinha custado muito dinheiro ao Estado! isso não nos dizia nada... os aviões eram nossos companheiros e 'irmãos'!

Doidos? talvez!... naquele tempo diziam que os pilotos, eram todos... 'malucos'...

Depois deste aparelho, como referi num 'post' anterior, "fiz-me" aos Helicópteros e, com eles lá dei o meu contributo no 'meu' antigo 'quintal' da Guiné ... onde eu,
piloto de T6, vi os outros camaradas voarem nos 'meus' aviões e 'trabalharem' na guerra com a 'garra e a cor' do Cinema à Hollywood... mas, à 'séria'!! Caramba!... eles, e os dos Fiat!!...

Eu, o tal da rendição individual e mobilizado por escolha e conveniência de serviço, por lá andei de "LIBELINHA" - ALOUETTE III - suando o clima, sempre misturado com os "Fusos", "Comandos", "Páras", Exército em geral e, com toda a gente, morta, ferida, ou doida para se "pirar" de montes de Vietnames por onde andei metido, com o "Héli" a "fazer alteres" para poder levantar (...)

Se gostava de ter feito uma 'perninha' de T-6 nos Céus da Guiné? então, não se nota nada? é claro que teria gostado!... mas, quem manda pode, e eu estive lá em substituição de um camarada que tinha sido feito prisioneiro dos "outros senhores"...

Eu, e os páraquedistas bem procurámos... mas nunca o achámos! Nem nunca mais soubemos de nada... deve fazer parte da "História" de 'reconciliação' do 'PAIGC' [agora com outro nome, acho eu] com os "actuais senhores da guerra" em prol da 'Paz'!

Antes de 'aterrar' o T-6 que está no "ar" deste 'post', quero falar do meu camarada Baía dos Santos, Tenente Piloto, único autorizado a fazer acrobacia baixa com esta Aeronave!(...)

Vibram por aí com as exibições aéreas que se têm visto no rio Douro? Louváveis e admiráveis, sem dúvida!

Se vissem o que o Baía 'fazia', em pleno Verão escaldante os espectadores cá em baixo gelavam literalmente com a sua perícia!... Diria mesmo mais: ele, era demais!!

Baía e o filho são Pilotos da TAP!

Quis o destino [e o querer de ambos] que o filho tivesse recebido o «Brevet»
das mãos do pai!...

Foi tudo muito bonito!
Foi mesmo muito Giro!
Foi à "Pilotaço"

Nunca esquecerei o Baía,
(...) e os outros ...
[entre os mortos, e feridos...]

3 comentários:

César Ramos disse...

Tenho estado em «lay off»! porém, quase 'esquecido'... ainda registei hoje, 16 visitas!

Há quem fique parado, sem nada para dizer, a vêr... como se costuma dizer: navios!

Navios, são barcos! mas aviões!!... como é possível ficar-se indiferente a um avião antigo, 'quasi' do 'tempo' do Leonard da Vinci - que "inventou" o helicóptero?!...

Nos próximos dias, vou trazer uma 'Diligência' da Wells Fargo...

Talvez tenha mais impacte... que é como quem diz: impacto! que é a força com que os cavalos batem com os cascos no chão!

Ah!... com este veículo, há a «diligência» de não haver tantas vertigens (...)

Reaças disse...

Sobre o piloto mencionado "y su muchacho", falaremos depois, por via mais discreta.
Sobre o Harvard T6 não sabia que o tinhas pilotado.
Sabia das "cotovias" ou "calhandras"... mas do T6, não.
Alouette=libelinha???? Jamé! Como diria o asno comuna arrependido!!!

César Ramos disse...

Revisão da matéria:

Na minha época, o percurso obrigatório era assim:

1º - Chipmunk - S.Jacinto
2º - Harvard T-6 - Sintra
3º - Dornier [DO] - Tancos

Bem classificado fiquei, e deram-me uma Base a escolher!
Preferi: AB1 Portela.
Ali, meteram-me num Broussard -Esquadra de transporte Ligeiro e de ligação.

O Comandante ROSA [2º Comandante]
piloto dos nossos Boeing, queria que eu ficasse nos aviões pesados!

Barra 'pesada' para mim! eu queria era aviões de 'reacção'! Os 'caças'!...
Não! só mais tarde após Academia Militar!(...)

Muito novo(e estúpido), deixei-me ir para os 'hélis'... mais tarde, eu que estava livre de África, arranjei o "passaporte" através dos Alouettes...

Mais tarde [na peluda], quis transferir "brevet" militar p/Civil! Confusão! queriam que eu fosse fazer estágio a Tires!!
Só perguntei: mas querem que eu vá lá dar aulas?...
Não! o senhor tem é que fazer reciclagem!
Ah! sim?! O.K.!
Passem muito bem (...)
Até hoje!

Um dia quiseram que eu fosse para os Emiratos fazer a ligação entre as plataformas do petróleo ...

Deu-se o "Affaire" no Kuweit!!

Fiquei limitado a assistir a tudo cá de baixo, ou então a andar como passageiro (...)

É tudo e aqui estou 'metido' no HANGAR ...