[ Vox populi vox Dei ]

2009-04-16

FARMACOGNOSIA

DIOSCÓRIDES, Médico (séc.I da era cristã), preparava os medicamentos para os seus doentes e foi autor da Obra "De Matéria Médica", que mais tarde ficou sinónimo de FARMACOLOGIA.

Farmacognósia, mais 'exigente', ocuparia "n" caracteres para condignamente ser explicada em mais do que num formato "livro de bolso"!... muito menos..., num post de Blog!

[Citam-se estes nomes «PAPÃO», para suscitar algum receio e, medicarem-se menos!...]

Sem escavar muito a Arqueologia dos tempos [Pharmácias], em fins dos anos cinquenta, sem palavreado "caro" a dar 'ênfase' ao "Ramo", praticava-se 'FARMÁCIA OFICINA', onde o 'LABORATÓRIO' - pela mão do farmacêutico - produzia quase de tudo nas "Lojinhas" [tipo caseiro] que algumas pessoas chamavam 'BOTICA': as 'hóstias'por exemplo! que hoje dão pelo nome de cápsulas.

Nunca se falou tanto de PAZ, praticando sistematicamente a GUERRA! Títulos da Imprensa: «Farmácias e Médicos em Guerra»!!

Ainda se estivessem em guerra contra a doença e as más condições da Assistência na SAÚDE, ainda vá que não vá ... 'essa' seria uma 'Guerra Santa'!...e Justa!...,

Diria que..., «a mãe de todas as guerras»!! Mas, esta 'Guerra' e as 'Batalhas' terão outros 'Ideais' como Estandartes!...

Todos, em nome do "DOENTE", «dirimem» 'Armas Químicas': ora de "marca", ora "artesanais"! o que é preciso, é que não sejam das de "destruição maciça"!... 'daquelas'[QUAIS?] de triste memória que pôs o Mundo Doente, sem remédios de "Marca" nem "Genéricos"! (...)

Como tenho receio de adoecer e 'ter' de ir a um Curandeiro, gostava que definissem isto de vez! Até aqui "atrasado", os Genéricos eram, "Porreiro Pá"! E agora..., o que é que é mesmo?!

Se calhar, as 'mezinhas' das avós [antigas], sopas de cavalo cansado, chazadas,
ou uns "copos" para esquecer maleitas!... Ah! - mas atenção:

- Se 'caír' na cama de um Hospital [longe vá o azar], os Genéricos que os Senhores Doutores não 'querem'[em alternativa a] que se tomem por 'via' da Farmácia, vai tê-los a seu lado, na mesa de cabeceira e,
pela boca abaixo!...

3 comentários:

Cascão disse...

Ainda bem que temos a tia Lu para nos curar dos males..

O contestatário disse...

É pá, há uma coisa que não percebo e que gostava que me explicassem: Para quê um curso superior de Farmácia, para estar ao balcão a vender medicamentos como se fossem batatas ou couves?
Eu lembro-me do tempo em que um famacêutico PREPARAVA os medicamentos na "pharmácia", e depois os doentes tomavam umas hóstias com o preparado lá dentro.
Hoje em dia, é um comércio como outro qualquer!!!
Mais, vendem cremes solares, sapatos, pastas e escovas de dentes...
Até já disse na farmácia onde costumo ir, que não vou morrer sem os ver vender batatas, açucar, feijão, etc., etc., etc!

César Ramos disse...

Ora aqui estou a 'dar' a Face para agradecer os Comentários e alimentar a "fogueira" [o Inverno não nos deixa]!... nem o Inverno, nem este... 'Inferno'!...

Sofro alergia por Televisão! Porém,
é inevitável 'ouvi-la' onde não depende de mim fazer 'turn-off'(...)

Ouvi há dias na TV :- procura-se PASTOR de GADO [não deve ser Padre]
c/Curso Superior!!(Verdade!! não é tanga!)...!!

Depois dos doutores cirurgiões dentistas, temos os/as doutores/as
aviadores/as de Balcão
de "P[h]armácia" [Agás, são mudos!]e, vamos ter Engenheiros Agrónomos a vender-nos as tais batatas, açúcar, feijão e, os «etc. etc.'s» ... ficarão para os doutores de Letras, que irão para os Balcões das Livrarias e Papelarias!...

Mas, há Cursos Superiores para tudo! estejam descansados...

{Não sei garantir é se os Cursos são Superiores porque se aprende muito, ou porque se PAGA bastante!}

Não é 'curial' o Primeiro Ministro ser Engenheiro [consta]!
Seria mais adequado que fosse Maestro, para 'reger' a 'Orquestra' com aquele 'bracejar' nos «Consertos» [não é erro ortográfico!]fazendo do dedo apontador, batuta!... se calhar... batota!

O LOUÇÃ, é que desafina à "brava" e, 'ele', até... "AFINA" (...)

«'tão a vêr a música?...»

CHIÇA! sou mesmo peixe espada! comprido, e chato! Isto até parece um post! mas um post(e) daqueles dos fios do Telégrafo (...)