[ Vox populi vox Dei ]

2009-03-12

« ALÉM - MAR »

Para não ser apodado de torcionário aplicando termos que arrancam crostas e abrem feridas, - Ultramar, Colónias, Províncias - aqui vai um suave "além-mar", como guardanapo para quem quiser assoar-se, pois antes durante e agora há ranho quanto baste para limparem o nariz.

Corria o ano de 1961 quando uns rapazes fizeram um "arrastão" em Angola, um bocadinho mais violento do que outro, recentemente em Carcavelos.

O sangue jorrou, e o Chefe do Governo de então soltou uma solução para a defesa de toda a população daquelas paragens (branca e negra): (...) «Para Angola, já e em força». E, naqueles tempos, como não sabíamos onde era a Bósnia, Kosovo etc., para
lá fomos durante uns tempos, até sermos despejados por decisão de um Tribunal que tinha os seus Juízos em várias partes do planeta, com especial "barra" na URSS! Era
uma espécie de USA, mas ao contrário, muito embora quisessem o mesmo!!- rua connosco!

O mesmo Governante, que tinha a mania de dizer umas coisas que hoje parecem ser autoria do nosso Profeta BANDARRA, asseverou coisas do género! Abandonar Angola? Mas
isso seria dar o 'ouro ao bandido'!! Nem pensar! Então não se estava a vêr que PORTUGAL iria ser a Ponte entre a Europa e a África!? Então não se estava a vêr que PORTUGAL sem "aquilo" não iria muito longe? Então não estaríam recordados de um Senhor Gajo -General NORTON de MATOS - seu opositor, mas defensor de que a Capital do país deveria ser transferida para LUANDA ... sim, em Angola! republicano, democrata, maçon, e acérrimo defensor do Ultramar, com aliás todos os 'excitados' da Primeira República (...)

Enfim!Após uma temporada de tiroteio, tudo aquilo que já tinha "bué" de mato, ficou literalmente no "MATO". Mais umas passagens estratégicas, logísticas, e administrativas que assinaram a certidão de óbito ao Jonas Savimbi, e, pouco a pouco, uns perecendo à Fome, outros "enrricando", lá a situação acalmou ao ponto de não se perceber bem, mas, tal como antigamente era preciso passaporte para ir para lá (enquanto Província), hoje, País Estrangeiro, se não estou em erro também continua a ser necessário ... (eu tenho um visto no meu que custou muito caro)! e, lá vamos, cantando e rindo, num regresso ao passado, ao jeito da sina de emigrante, desconhecendo se se vai mais tarde ser acusado de 'colonizador', ou penalizado como
explorado emigrante de mala de cartão e "bidon-ville" ...

Quando o BANDARRA de Santa Comba Dão profetizou que o nosso Futuro estava, por exemplo, também em ANGOLA, todos se riram! agora, sorriem e assinam protocolos! Olha
se não fossem os "500 ANOS" tínhamos hoje e agora, direito a alguma coisa? Mostrem lá
qualquer outro país africano não 'escravizado' por portugas, que dê para cá qualquer coisinha? Pruridos à parte, não é melhor ir para ali com a "caixa da ferramenta" do que para outras bandas com o "cunhete das munições"? E quem foi amigo? não foram os tipos das Caravelas e o tal das "Botas" com a ideia do orgulhosamente só?

Bom, mesmo assim ainda estaremos de acordo que mais vale só, do que mal acompanhado!

Lembram-se de uns certos emigrantes que há uns anos andaram por Angola a disparar contra tudo o que não era Soviético? Ah! eram Cubanos ... mas que cooperantes ...!

Porque será que são sempre os portugueses que alinham com esforço braçal para desenvolver o que (agora) é dos outros ... e têm de abandonar as famílias para ganhar
a Vida?!

Pensava eu, que o tempo das Galés fazia parte do passado (...)

... choremos os mortos, e os profetas mal amados ...

1 comentário:

Luso disse...

Nem mais.
Muito bem escrito.
Como é curioso, os lambe-botas do sr. Santos...
Enfim, como se diz hoje, para Angola, e em força, que por cá, se ficarem, passam fome!
Mas se pensarmos que Angola, 14,5 vezes maior que Portugal, é de uma riqueza imensa, mesmo que continuem a gamar ainda há-de ficar muito mais...
É a vida!