[ Vox populi vox Dei ]

2009-02-23

A CRISE NACIONAL DE 1383 - 1385

D.JoãoI jogava tudo por tudo nesta crise. Curiosa a posição do novo Rei. Assim,não
hesitou seguir o conselho cínico do velho político Álvaro Pais (que não era engenheiro nem doutor): «dai daquilo que vosso não é e prometei o que não tendes e perdoai a quem vos não errou...» (Fernão Lopes, I, cap.27)
Foi este Rei, chefe revolucionário, que encontramos nas Cortes a prometer o que não
poderia cumprir. Porém, a aclamação (quiçá a maioria) deu-lhe um novo sentido da dignidade do Poder e, por isso, pela primeira vez desde o fim de 1383, já resiste às pressões populares quando se trata de concessões que possam comprometer a sua autoridade futura. Até dá
'gosto' como tudo aquilo já era 'actual'! Parece cena do filme "Regresso ao Futuro".
Ora bem, ainda dizem que a História não se repete coisa nenhuma! Então era preciso que os nomes também fossem os mesmos? Ora bolas que a Cartilha só tem outra encadernação, e o texto só muda consoante o Acordo Ortográfico ...

3 comentários:

dRAMOs disse...

a história repete-se e de que maneira! compreende o passado para ter um futuro melhor...

César Ramos disse...

(...) é importante compreender o passado para usar a lição no futuro;
porém, só se for no "futuro" mesmo ao fundo do túnel! ou do abismo! porque, no futuro imperfeito de hoje, ainda não se viu preocupação
em tirar qualquer lição da História para dar de benefício ao futuro perfeito de agora, ou mesmo do antes ... é que, cada vez que surge um «eleito», este julga-se o dono da 'verdade' e, lá fica mais um passado histórico a não seguir! E nós, cheios de fé continuamos que a História é boa para planear o futuro sublimando as asneiras praticadas entretanto. Injustamente o digo, mas o passado histórico está lavrado em Actas e
actos tão reprováveis, que acabam por serem maus exemplos. Olhem prós animais Hitler e Estaline, e vejam como têm seguidores ...
Deixar registos para a memória futura tem os seus contras também ...
Não digo mais nada, pois estou com azia intelectualóide.
Vou tomar um antiácido e lêr qualquer coisa leve, como seja o
Tratado de Medicina Interna ou o
Pantagruel, muito embora nem habilidade haja para descascar batatas.
Obrigado se me leram, podem mandar-me às couves, à fava, atirarem-me tomates, mas tudo isso é bom para semear aqui neste espaço que ...
ninguém esqueça ... se chama ALFOBRE e, é o sítio indicado para semear seja o que fôr, e precisa de adubo natural; sejamos biológicos, daí, algumas figuras históricas - mesmo recentes - são melhores do que os pesticidas que
emporcalham este pobre meio ambiente!
De qualquer forma, não deixa nunca de ser importante compreender o passado para (tentar) ter um futuro
melhor...
Como não podemos obrigar as 'famílias políticas' a usar este procedimento, que o façamos na nossa história individual, um pouco todos os dias, pois a Vida não é só a Governação! é também a forma como soubermos governar-nos individualmente ou como seres eminentemente sociais.

Abd el Naranj disse...

Nem mais.
Afinal, mais uma vez, a História repete-se!
Pobres dos néscios que acreditam em políticos de pacotilha, como os actuais...
E sejam eles desta ou daquela cor.
E ainda por cima, quando falam de um verdadeiro Patriota, que nasceu lá par os lados de santa Comba Dão, ainda o tratam com desprezo...
Admirados?
É natural.
Era um homem HONESTO!
Coisa que esta cambada nem imagina o que isso é!